Liderança 4.0

Atualizado: 12 de Jan de 2019

Muito tem se falado ultimamente sobre a 4ª revolução industrial e todos os seus impactos. Para se adaptar a este novo momento é necessário, mais do que nunca, uma transformação nas habilidades humanas e, principalmente, nas lideranças. Veja as principais competências do líder do futuro!


Recentemente a HSM publicou um infográfico sobre as novas competências da liderança 4.0, baseadas no livro Gestão do Amanhã, e decidimos escrever um pouquinho sobre cada uma delas, dando a nossa percepção numa visão de Gestão de Pessoas. 


1. Criar o futuro. "O novo líder deve fazer propostas moonshot, como missões à Lua – que são de mais longo prazo e que abordam um problema enorme, propondo uma solução radical para ele com uso de tecnologias disruptivas".

Estes líderes não devem deixar que sua própria zona de conforto desenhem os limites da sua atuação. É preciso entender que a velocidade de mudança do mercado e dos ambientes de trabalho tem sido potencializada pela tecnologia e isso exige que compreendam este cenário e se adaptem com agilidade, pensando rápido e propondo soluções efetivas, mesmo que riscos precisem ser assumidos. Na visão de equipe, é importante saber trabalhar com times multidisciplinares e autônomos para ganhar velocidade na inovação. Repare que aqui o "crachá" vale menos e o líder precisa conquistar diariamente o respeito e admiração do time. Isso requer uma mentalidade mais colaborativa e transparente nas relações.


2. Pensar "bold", com ousadia. "Ele se atreve a “sonhar grande”, o que vai muito além de “pensar grande”.  

Esse é o verdadeiro "sair da caixinha". Trazer soluções diferentes para problemas antigos. Lembrando que ousadia é diferente de "sem noção"! Líderes "bold" (ousados) tem forte autoconsciência e conhecem suas fortalezas e fraquezas. Sabendo suas limitações, se cercam de pessoas que os complementam (olha a importância de saber montar bons times!). Com um bom time, ter clareza do seu objetivo e estabelecer prioridades vai ajudá-lo a evitar desperdício de tempo em atividades sem importância que possa levar à distração. Por fim, é importante ter coragem para saber aproveitar as oportunidades existentes, pois a oportunidade perfeita raramente acontece, e celebrar desde as pequenas conquistas, encorajando e motivando o time a buscar entregas incrementais.


3. Construir um MTP. "O líder tem uma visão sincera que fala tanto à mente quanto ao coração dos indivíduos, capaz de inspirar a todos."

O PTM (sigla em português para Propósito Transformador Massivo) é uma expressão empolgante que envolve o "porquê" da empresa se envolver naquela atividade e como ela quer impactar o mundo. Pensando que, cada vez menos teremos estruturas hierárquicas rígidas e liderança baseada em controle, os novos líderes precisam ser capazes de construir PTMs que inspirem e envolvam as pessoas em prol de um objetivo maior e façam todos daquela área ou organização sonharem juntos em busca do mesmo resultado. Líderes capazes de inspirar também são os que atraem os melhores talentos para o seu time e costumam ter as melhores taxas de retenção, funcionando como um imã de pessoas. 


4. Tomar riscos. "Esse líder faz experimentos de negócios que proporcionam aprendizado, e o faz em velocidade, tanto para iniciar algo como para descontinuá-lo."

Por isso falamos tanto do conceito de "fail fast", ou falhar rápido em português, que valoriza a constante experimentação em busca das ideias que tenham valor real. O objetivo, na verdade, é reduzir o desperdício de tempo e de dinheiro em ideias sem valor, uma vez que falhando rápido você detectará com velocidade os erros e ajustará o necessário para novos experimentos. Quando este risco é assumido e as falhas identificadas rapidamente, o aprendizado também vem na mesma velocidade. É importante ressaltar que para um líder trabalhar deste modo ele precisa estimular um ambiente livre de repressões onde o erro seja tolerado e as pessoas se sintam seguras para propor ideias novas e testar novos conceitos.  


5. Entender a lei de Moore, plataformas e tecnologias. "Esse líder associa aquilo que ele já sabe com a exploração do desconhecido, somando novas ferramentas e modelos a seu acervo de conhecimento."

O líder não se esconde atrás de métodos que "sempre deram certo" ou técnicas antigas de gestão. Une a experiência que tem adquirida com as novas informações disponíveis e busca sempre as melhores soluções. Está aberto a novas metodologias e sempre atento a novas tendências, disposto a experimentar sem medo, pois erros fazem parte do processo de aprendizagem. É um profissional que busca se desenvolver continuamente e entende que precisa estimular essa mesma prática nas equipes em que lidera, criando uma atmosfera de desenvolvimento contínuo.


6. Focar o cliente, cliente, cliente...."Significa saber usar a tecnologia para incrementar o valor dos produtos e serviços com a participação dos clientes."

Aqui entra a palavrinha do momento: empatia! Empatia, essa, fundamental para entender o cliente e oferecer de fato o que atende as suas necessidades. Se o líder quer alcançar esse resultado, ele precisará de uma equipe com essa habilidade para apoiá-lo. Como atrair e reter esses talentos? Eu retorno a usar a mesma palavrinha: empatia! No entanto, há uma confusão comum sobre o conceito de empatia. Muitos entendem empatia como "tratar o outro como gostaria de ser tratado". Sendo que na verdade a empatia é tratar o outro como ELE gostaria de ser tratado. Então, assim como é fundamental conhecer a fundo seus clientes, conheça bem o seu time e entenda como eles gostariam de ser tratados. A conversa aberta e transparente é o melhor caminho. Importante dizer que comunicar não é só falar, mas também ouvir atentamente o que eles têm a te dizer. Acredite, eles terão muito a te ensinar!


7. Fazer grandes perguntas. "Esse líder agora é um grande e permanente questionador."

Saber perguntar é mais relevante do que saber responder. Uma das características essenciais para liderar com segurança é saber desconstruir as informações recebidas, fazendo perguntas-chave que vão ajudar a chegar ao cerne dos problemas. Por isso, não tenha medo de questionar. Outro ponto importante é que, ao serem indagados, os colaboradores ficam mais motivados a participar da construção de uma nova ideia e entendem que sua opinião é relevante para a liderança. Estamos falando aqui de perguntas abertas, por exemplo, "como você acha que devemos tratar esse problema?", "qual é o seu ponto de vista sobre?" ou "o que poderia ter sido feito para evitar". 


8. Conectar. "Esse líder faz associações entre conhecimentos de especialistas distintos, compondo uma visão mais holística da organização e de suas derivações."

Saber se conectar com diversas áreas na organização ou fora dela requer habilidades de flexibilidade e relacionamento. Ao citar flexibilidade me refiro a abrir mão de interesses individuais em prol de objetivos maiores e ter jogo de cintura para tratar com pessoas de perfil diferente do seu. Sabemos que relacionamentos ampliam as possibilidades de agregar valor ao meio. Então pergunto, com quem você tem se relacionado? Está sempre conversando com as mesmas pessoas? Tem participado de eventos da área de atuação onde empresas mostram seus cases? É preciso estar atento para conseguir conectar ideias e negócios! Internamente isso também acontece. É importante entender o que acontece em cada área e propor sinergias que agregarão ainda mais valor à organização, além de saber trabalhar em time respeitando a realidade de cada um e aproveitando a diversidade existente na equipe.



Para finalizar, diferente do que muitos falam, acreditamos que ninguém nasce líder e que a Liderança pode ser desenvolvida por qualquer pessoa que tenha interesse e goste de trabalhar com gente. Sendo assim, esperamos ter contribuído um pouco para este desenvolvimento!

Equipe nw2

Veja o infográfico da HSM:




149 visualizações

©2020 por nw2.